sábado, 10 de dezembro de 2016

Sobre a pré

Esta semana tive reunião com a educadora do Diogo. Incrível como ainda há pouco tempo mudava-lhe as fraldas e agora já tenho reuniões com educadoras. 

Tivemos sorte com a escola. É pública, tem pré e ensino básico e está apenas a uns metros da casa da minha sogra. Todos dias ela leva-o e vai buscá-lo. A professora assim como a auxiliar são excelentes. O Diogo desde o primeiro dia criou um laço enorme principalmente com a auxiliar. É o menino dos olhos dela. A professora tem imensa experiência, preocupa-se com o meio ambiente, ensina-os a reutilizar materiais e apesar de ter 60 anos é dada as novas tecnologias e envia via whatsapp vídeos e fotografias das actividades dos nossos meninos. 

Como é dos únicos que nunca andou em creche ou na pre com 3 anos, ou seja, é novato, a professora achou por bem falar comigo e chamar atenção para certos pontos. 

Ficou surpreendida por ele não se interessar pelo desenho e pintura dado que a mãe é designer. Materiais em casa não lhe faltam... desde cedo comecei a comprar lápis, canetas, tintas, lápis de cera, aguarelas, etc mas a verdade é que só ao fim de semana é que tinha tempo para o incentivar a pintar. Sei bem que a pintura é ótima para uma criança se exprimir e dar asas à imaginação. Tentei que as avós o incentivassem mas em vão. Qual avó não faz tudo o que o neto quer? Consequentemente está atrasado em certas coisas em relação aos colegas . Combinamos que eu iria trabalhar com ele em casa e incentivar mais. Vamos enviando mensagens uma à outra e ela até manda respostas com voz para o Diogo ouvir. Acho um maximo!

Também terá que trabalhar a parte desportiva mas esse campo deixo para o pai...!

Com isto tudo deixou-nos a pensar. Passamos muito tempo no trabalho. Muito tempo a cuidar da casa. Muito tempo na internet e o tempo voa. O tempo passa e nem damos conta. Sentimo-nos abalados como se a professora nos desse um abanão. Passem mais tempo com o vosso filho! O amanhã é incerto!






7 comentários:

  1. Quantos anos tem o teu Diogo? No inicio deste ano letivo a educadora do meu Diogo disse-nos exactamente o mesmo. Que teríamos de trabalhar a parte da escrita\pintura\desenho em casa. Ah e também o manusear da tesoura... Não tem sido fácil motiva-lo para isso.

    ResponderEliminar
  2. A minha filha vai fazer 2 anos e meio e ainda está com a avó durante a semana. Estamos a pensar po-la no infantário aos 3. Considero que ela se tem desenvolvido bem mas também temo estas indicações quando comparada com meninos que já andam desde tenros meses numa creche. O grande problema por aqui é que o serviço público não cobre nem de longe nem de perto as necessidades de todos os pais desta zona. Por isso, o mais certo é não termos vaga e termos de a colocar no privado onde as mensalidades, por aqui, rondam os 250/300euros... A ver vamos como é que isto vai ser mas sabemos que daqui a meio ano tudo irá ser diferente para a nossa filha. Só espero que ela se adapte bem a essa nova realidade.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Decidi esperar até aos 4 porque achei que ele devia falar perfeitamente para entrar. Assim sabia contar se algo não estivesse bem. Por outro lado também achei que o amor e atenção das avós era essencial até essa idade.

      Eliminar
  3. Os meus andam na cresce desde que completaram 1 ano... Se pudesse, ficava com eles mais tempo, ou se pudessem os avós, também... O que gosto menos nas creches e pré-escolas, é o acharem que todos os meninos têm que estar no mesmo nível... E sim, o Diogo pode estar "atrasado" no desenho e pintura... Mas quantas coisas ganhou/aprendeu/desenvolveu por não estar "no sistema"? :) Ele vai lá!
    Beijinhos para todos!

    ResponderEliminar
  4. Lá em casa também há materiais por todo o lado, até paredes em ardósia temos, mas o meu 4º filho nunca, nunca se interessou pelo desenho. Já anda no 2º ano e com 7 anos faz os piores desenhos de todos os meus filhos. Acho que não é incentivo que falta, mas gosto pela coisa. O Afonso detesta desenho, e pintar,... e irá ser sempre assim.

    ResponderEliminar
  5. Não te culpabilizes, ainda por cima agora com uma recém nascida, não é fácil gerir.

    ResponderEliminar