quarta-feira, 14 de outubro de 2015

Recordações

Outro dia estava a conduzir regresso a casa e eis que me veio à memória, não consigo explicar porquê, um cheiro familiar. Foi tão estranho, mas nesse momento, regressei imensos anos atrás.


Quando era pequenita morava em frente aos meus primos e no natal com eles e com a minha irmã iamos à feirinha de natal que a freguesia organizava. Os nossos pais davam-nos dinheiro, lembro-me que uma vez foi 2000$ e achei uma loucura. Com esse dinheiro tínhamos que comprar uma lembrança para todos membros da família. Passávamos o Natal com os meus avós, em casa deles e com os meus tios. O meu avô nessa época, estava sempre doente. No dia de natal fazia anos, na véspera fazia a minha mãe. 

A feirinha tinha um cheiro característico. Cheirava a madeira muito antiga. Foi esse cheiro que relembrei. Cheirava a livros velhos. A papel amarelo e linhos. Cheirava a pinheiro e a maçãs.

Nós íamos todos contentes. A minha irmã, como era a mais velha, geria o dinheiro e nunca sobrava nada. Dávamos coisas pequeninas. Um barquinho de madeira, bases para copos, uma caneta bonita, etc. 
A acompanhar o presente ia o nosso jornal. 
A minha irmã queria ser jornalista então dedicávamos algumas horas das nossas férias de natal a criar o nosso jornal. Tinha notícias, jogos, adivinhas e o horóscopo. Lembro-me de estarmos sentados à volta de uma mesa que a minha mãe tinha com pernas de metal e tampo de madeira preta e vidro a escrever e a pintar. Não tínhamos computador, era tudo feito à mão. 

A entrega dos presentes era uma animação. As vezes ficavam com lágrimas nos olhos e riam muito. 
A minha mãe ainda tem algumas coisas e na sala tem um barquinho desde esse tempo.

❤ 




4 comentários:

  1. Que memória tão bonita! Adorei ler! :)

    ResponderEliminar
  2. Começa a cheirar a natal... fantástico...

    ResponderEliminar
  3. Que texto maravilhoso e que recordações amorosas! Adorei! <3

    ResponderEliminar
  4. Que giro, realmente recordar é mesmo viver :)

    ResponderEliminar